terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

IMPLICAÇÕES DA TRINDADE NA VIDA EM COMUNIDADE

IMPLICAÇÕES DA TRINDADE NA VIDA EM COMUNIDADE

TEXTOS: Dt 6.4; Mt 28.19

INTRODUÇÃO:
     O que você sabe sobre a Trindade? Você conhece essa doutrina? Como você acha que ela se aplica à nossa vida como pessoas e como cristãos?
     Talvez você nunca tenha parado para pensar sobre isso. Talvez sempre tenha achado que esse assunto de Trindade era só mais uma teoria para teólogos. Talvez você nunca tenha entendido a importância do conhecimento correto sobre a Trindade e nunca tenha se importado.
     Nesta mensagem vou explicar para você o que é a Trindade e o que ela tem a ver com a nossa vida cristã e em comunidade.
     Esteja atento e que Deus te ilumine.

O QUE É A TRINDADE
     O único Deus, a despeito de ser único é também uma comunidade e não um Deus individualista, como um cavaleiro solitário.
     O credo de Atanásio declara “Pois existe uma pessoa do pai, outra do Filho; e outra do Espírito Santo; Mas a divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo, é uma só, em igual Glória e Majestade coeterna. Tal qual o Pai. Assim é o Filho, e tal é o Espírito Santo”.

O Pai é Deus - Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele. (1 Coríntios 8:6).

O Filho é Deus - Mas a respeito do Filho, diz: "O teu trono, ó Deus, subsiste para todo o sempre; cetro de eqüidade é o cetro do teu Reino. (Hebreus 1:8).

O Espírito é Deus - Então perguntou Pedro: "Ananias, como você permitiu que Satanás enchesse o seu coração, a ponto de você mentir ao Espírito Santo e guardar para si uma parte do dinheiro que recebeu pela propriedade? (...) Você não mentiu aos homens, mas sim a Deus (Atos 5:3,4).
As três pessoas são um único Deus - Ouça, ó Israel: O Senhor, o nosso Deus, é o único Senhor. (Deuteronômio 6:4).

     Agostinho, citando primeira João 4.16, afirma que o amor envolve um amante (o Pai - aquele que ama), um amado (O Filho - que recebe esse amor) e um espírito de amor entre amante e amado (o Espírito Santo – que é o elo que une amante e amado).

A TRINDADE E A COMUNIDADE
     Em qualquer ajuntamento humano é comum que hajam choques de personalidades. Alguns têm a tendência de quererem dominar os assuntos e o ambiente e isso pode causa confrontos que geram muito incômodo. Isso se dá por causa do pecado que entrou no mundo e desde o Éden promoveu acusações e confrontos que distanciam as pessoas umas das outras e de Deus (Gn 3.12; Gn 4.8; Is 59.2).
     Todas as vezes que sentirmos esse desejo de reação que não agrada ao Senhor (seja atacando os outros, fofocando, ou ficando com raiva) precisamos pedir ao Eterno para nos ajudar a agir como a Trindade. Em vez de exigir atenção pessoal ou reivindicar a razão, precisamos pedir força para caminhar em humildade e orar pela outra pessoa.
     O desejo e a oração de nosso Senhor Jesus é que vivamos em unidade, assim como a Trindade, que é o modelo de relacionamentos dos discípulos do Salvador: “para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um”. (João 17:21,22).
     A unidade do Pai, do filho e do Espírito Santo é revelada no Novo Testamento como uma carta vida de amor entre o Deus trino e Seu povo:
     O Pai ama e se deleita no Filho (Mateus 3.17).
     Jesus recebe o amor do Pai e o agrada por amor e obediência (Mateus 12.31; João 12.44,45).
     O Espírito glorifica tanto o Pai quanto o Filho (João 16.14). O trabalho do Espírito é relembrar as palavras do Senhor Jesus (João 16.12-15).

     Nós devemos imitar a natureza relacional de Deus.
     Jesus reuniu 12 discípulos para ensinar a eles sobre o amor e a comunhão.
     Todo discipulado desses homens girou em torno de estarem juntos e fazerem as coisas juntos.
Suas vidas moldadas e modeladas em conjunto foram os elementos chave da sua formação, apesar de serem tão diferentes e até mesmo controversos, chegando a se encararem como competidores (João 13.14).
     Jesus enfatizou constantemente a importância da unidade e do amor uns pelos outros.
Ele chegou a lhes dizer que o que os faria serem reconhecidos como discípulos dele era o amor que tinham uns pelos outros (João 13.35).
O mestre disse que o mundo creria quando visse a unidade dos discípulos (João 17.23).
Uns aos outros
     A frase “uns aos outros” aparece cem vezes no NT e a maioria dessas ocorrências tem a ver com as relações entre os crentes e o cultivo de suas relações (vamos ver isso melhor a partir do próximo estudo).

A TRINDADE OPERANDO EM NÓS
     Quantas vezes prometemos por nossa força fazer e não conseguirmos? Tantas vezes fazemos promessas do tipo:
     Eu vou praticar a regra de ouro – Mateus 7.12.
     Eu vou amar o meu inimigo, porque Deus manda – Mateus 5.43-48
     Eu amarei o meu próximo – Mateus 19.19.
     A verdade é que sem o Espírito Santo operando em nós não podemos cumprir o “uns aos outros”.
     Sofremos de uma mentalidade individualista e altamente competitiva – Lucas 9.46.
     A harmonia e o amor dentro da Trindade é muito diferente da nossa natureza carnal, por isso o Espírito Santo tem que nos transformar com o Seu amor para que possamos viver em comunidade.
     Nosso momento devocional não é um momento a sós, mas comunitário. Estamos em comunhão com a Trindade; os três em um.
    Devoção tem a ver com relacionamento em amor com um Deus que não age de forma individualista, mas que nos convidou e deu o privilégio de sermos seus colaboradores, ainda que Ele não precise de nós, ou seja, pelo simples prazer de estarmos trabalhando juntos em comunhão (1 Coríntios 3.9; 3 João 1.5-8).

CONCLUSÃO :
     Tendo em vista tudo o que tratamos até aqui, vale a pena ressaltar alguns pontos sobre esse tema tão importante.
     A Trindade Santa é uma comunidade e não um Deus individualista, como um cavaleiro solitário.
     Pai, Filho e Espírito Santo, são três pessoas distintas, porém iguais em poder, glória, majestade e co-eternas.
     A humanidade foi criada para revelar a imagem e semelhança no Deus comunitário; isto é, viver em perfeita harmonia e amor.
     A queda no Éden acabou por macular esse propósito e gerou um espírito competitivo e de acusação e agressão entre os seres humanos.
     Jesus veio para restaurar a comunhão entre Deus e os homens e entre homens e homens.
     Viver a fé cristã é viver em comunidade, amando e ministrando uns aos outros.
     Por isso o Espírito Santo no foi dado e por isso a nossa relação com o Trino Deus é tão importante e valiosa.
     Decida viver a vida que Jesus projetou para você, como membro do Corpo de Cristo. Decida viver em comunidade. Decida viver ministrando “uns aos outros”.