quinta-feira, 17 de março de 2016

Fundamentos da Missão da Igreja: Ação e Evangelização.

Texto: João 17.18; 20.21

Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo.
João 17:18 NVI
Novamente Jesus disse: “Paz seja com vocês! Assim como o Pai me enviou, eu os envio”.
João 20:21 NVI

Verdade teológica: A missão da igreja é, na verdade, a missão de Cristo que continua através de nós.

Sentença interrogativa: Como entender as evidencias de que a missão da igreja é a continuação da missão do Cristo?

Sentença de transição: Existem pelos menos duas evidências bíblicas que nos ensinam que fomos enviados em missão de fazer o bem e evangelizar para abençoar a todos, indistintamente. Vejamos:

COMO O PAI ME ENVIOU

“Assim como me enviaste ao mundo, eu os enviei ao mundo”.
João 17:18 NVI

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar boas-novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos  e proclamar o ano da graça do Senhor”.  Então ele fechou o livro, devolveu-o ao assistente e assentou-se. Na sinagoga todos tinham os olhos fitos nele; e ele começou a dizer-lhes: “Hoje se cumpriu a Escritura que vocês acabaram de ouvir”.
Lucas 4:18-21 NVI

“como Deus ungiu Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e poder, e como ele andou por toda parte fazendo o bem e curando todos os oprimidos pelo Diabo, porque Deus estava com ele”.
Atos 10:38 NVI

Jesus foi enviado para um propósito: salvar os homens. Porém, para cumprir o Seu propósito ele cumpriu uma missão ampla, que era evangelizar e fazer o bem a todos.

É importante entender que as duas coisas andam juntas, mas uma não pode servir de trampolim para a outra.
Jesus fez o bem, mas jamais o usou como barganha proselitismo, para que alguém se tornasse seu discípulo pela obrigação de “retribuir” o bem recebido.

Jesus evangelizou e anunciou a salvação, mas sem lançar mão de outros recursos, se não somente a pregação (Mt 4.17).

Jesus também posicionou-se contra os erros e apontou os desmandos daqueles que estavam no poder ou que gozavam de facilidades, mas não se punham em favor dos necessitados, sem jamais desrespeitá-los (Lc 6.25; Mt 23.1-39)

Jesus, nosso Senhor, nunca operou milagres ou fez qualquer bem por propósitos proselitistas, mas sempre por compaixão (MT 9.36; 14.14; 20.34; Mc 1.41; 8.2).

Transição: Ficou bem estabelecido que o Senhor sempre fez o bem e nunca impôs a ninguém que se convertesse em função do bem recebido. Logo, ele assim nos enviou.

EU OS ENVIO

A missão nos foi dada pelo Senhor - Novamente Jesus disse: “Paz seja com vocês! Assim como o Pai me enviou, eu os envio”. E com isso, soprou sobre eles e disse: “Recebam o Espírito Santo”.
João 20:21-22

Nós fomos enviados ao mundo pelo Senhor Jesus com a mesma missão social, de ser um agente para o benefício do próximo, seja ele quem for.

Fazer o bem a todos, indistintamente. Essa atitude não pode ser confundida com a evangelização, mas com a revelação do caráter de Deus em nós que “faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos” (Mt 5:45).

Visitar os órfãos e as viúvas (leia-se, os mais carentes da sociedade) (Tg 1.27). O texto não diz órfãos e viúvas crentes, mas todos eles. O texto também não diz que essa tarefa é apenas pastoral, mas cristã.

“Portanto, enquanto temos oportunidade, façamos o bem a todos, especialmente aos da família da fé”. (Gl 6:10). É fato e natural que os membros da família da fé tenham prioridade, mas a Palavra nos ensina a fazer o bem a todos.

Nós fomos enviados ao mundo pelo Senhor Jesus com a mesma missão espiritual, de ser um agente de Deus para o anúncio da salvação para todos e toda e qualquer situação.

O uso da palavra “evangelizar” no Novo Testamento não significa ganhar almas, como normalmente pensamos. Evangelizar é anunciar a boa notícia da salvação em Jesus, e isto independe dos resultados serem positivos ou não, conforme nossa perspectiva.

Portanto, o sucesso da evangelização está ligado à comunicação fiel do evangelho de Jesus com amor.

Evangelizar é pregar o evangelho como ele é.

A forma de saber se estamos evangelizando é nos assegurar de que estamos fielmente tornando a mensagem do evangelho conhecida.

Evangelizar também não pode ser definido pelos métodos. Evangelizar é anunciar as boas notícias, independente de como este anúncio é feito. É pregar por todos os meios possíveis.

falando com um amigo, grupo de pessoas ou uma multidão.

distribuição de material impresso.

Desenhos com cenas e/ou motivos bíblicos.

Apresentações teatrais.

Evangelizar não é contabilizar almas ganhas para promover orgulho humano, mas anunciar a Cristo com fidelidade para fazê-lo conhecido por todos e para que todos possam ter a oportunidade de se decidir conscientemente por Ele ou não.

Conclusão:

O que este sermão abordou é a nossa missão como a missão de Cristo.  

E o sucesso no cumprimento desta grande missão depende do nosso entendimento completo dela (Social e Evangelístico) e da observação e cumprimento de cada “co”missão.

Penso que este é um dos sentidos de ser sal da terra (ação social) e luz do mundo (ação evangelística). Fomos enviados para dar sabor e conservação à vida da sociedade em que estamos inseridos, fazendo o bem e promovendo e lutando pela justiça e para evangelizar anunciando o perfeito Reino de Deus em Cristo do qual a prática e vivência da igreja hoje é uma anúncio profético.

Como igreja de Jesus nós precisamos compreender a missão que recebemos do nosso Senhor e Cristo, de ser agente abençoador para o mundo, levando amor e alento a todos por meio do envolvimento social e da evangelização cristã.

Você aceita a missão?