segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Título: Rompendo com o que pode limitar o alcance do evangelho.



Texto: João 4.1-42
Introdução:
Imagine a cena, um judeu e um palestino conversam tranquilamente sobre a vida enquanto os seus filhos brincam juntos no quintal. Será que isso é possível?
Graças a Deus isso é possível mediante a obra do evangelho no coração dos homens e tem acontecido no Oriente Médio, onde o evangelho está sendo pregado.
Nesta mensagem vamos meditar sobre a queda dessas barreiras e de outras, que o amor a Cristo tem levado homens e mulheres a derrubá-las para que não haja limites para o Evangelho.
Elucidação textual:
Este capítulo 4 do Evangelho de Jesus conforme escreveu João tem o proposito de revelar o grande amor do Senhor. Jesus deixa a Judéia e vai para a Galileia depois de ficar sabendo que os fariseus tomaram conhecimento de que Ele estava batizando mais discípulos do que João Batista, que era monitorado de perto pelo poder religioso institucionalizado, que poderia querer mata-lo por conta de seu sucesso evangelístico. Como o Senhor sabia que ainda não era chegada a sua hora, então partiu para a Galileia e julgou como necessário passar por Samaria. Essa necessidade era ministerial e não geográfica, ele queria alcançar aquele povo e o fez através de uma mulher de índole duvidosa que foi transformada pelo poder do evangelho.
Verdade teológica: O Senhor Jesus tinha como alvo principal romper com tudo o que poderia limitar o alcance do evangelho.
Sentença interrogativa: O que Jesus fazia para romper com o que poderia limitar o alcance do evangelho?
Sentença de transição: O capítulo 4 de João nos ensina algumas atitudes de Jesus para romper os limitadores do alcance do evangelho.
     I.        Jesus rompia com a disputa (vv.1-3)
a.   O Senhor não estava interessado em disputar com João Batista.
b.   O Senhor não estava interessado em disputar com os fariseus.
c.   O Senhor, surpreendentemente, rompe com a possível situação de conflito indo para a Galileia, ainda que estivesse tendo muito sucesso na Judéia.
d.   O Senhor sabia que, devido à sua influência, os fariseus poderiam instigar o povo contra Ele e mata-lo antes da hora. Por isso, ele decide romper com o sucesso momentâneo para cumprir seu ministério na íntegra. Isso se chama inteligência emocional e discernimento espiritual.
   II.        Jesus rompia com o preconceito étnico/geográfico (vv.4-6).
a.   “Era-lhe necessário passar por Samaria”. Os judeus preferiam atravessar o rio Jordão e passar pelo outro lado do que ter que passar pelas terras dos samaritanos. Para Jesus a necessidade de passar por Samaria era a de levar o amor de Deus, revelado nas boas notícias de salvação para todas as pessoas, independente de sua etnia, condição social, religiosa ou econômica.
  III.        Jesus rompia com o preconceito pessoal e de gênero (vv.7-27).
a.   O Senhor não se importava com o fato de ela ser uma mulher e, ainda por cima, samaritana (vv.7-9).
b.   O Senhor abre um diálogo evangelístico com ela a partir de uma necessidade física e passa para a necessidade espiritual de todo ser humano, a salvação (vv.10-15).
c.   Jesus lhe manda chamar o marido para mostrar-lhe que os rompimentos da sua vida foram errados e que o atual relacionamento precisava de um rompimento (vv.16-18).
d.   Jesus não a julgou (Jo 3.17), mas foi atencioso e amoroso com ela a ponto de despertar nessa mulher o desejo da salvação (vv.19-27).
 IV.        Jesus rompia com os padrões humanos para a missão (vv.28-42)
a.   A mulher, tão logo entende que Jesus é o Messias, deixa o seu cântaro e vai correndo à cidade anunciar Jesus aos seus conterrâneos (vv.28-30).
b.   Nesse meio tempo, Jesus, ensina aos seus discípulos sobre a urgência da obra missionária e lhes aponta os samaritanos chegando, vestindo suas túnicas brancas, e se referindo a eles como campos prontos para a colheita (vv.31-38).
c.   Apesar de aquela mulher ter uma índole duvidosa, sua mudança parece ter sido imediata, pois ela conseguiu levar muitos a crerem no seu testemunho e a irem se encontrar com Jesus e o conhecerem por si mesmos (vv.39-42)
Aplicação:
Assim como Jesus, nós também devemos saber romper com tudo o que pode limitar o alcance do evangelho através de nossas vidas.
Precisamos aprender a romper com a disputa. Vivemos em outro nível espiritual, não somos mais como os ímpios, que tratam as coisas sempre na base do “eu contra ele” buscando se afirmar ou afirmar o seu valor diante dos outros. Nós não temos necessidade de disputar nada com ninguém, pois nosso Salvador tem um plano específico para cada um de nós e o que precisamos é nos comprometer com esse plano.
Também temos que aprender a romper as barreiras étnicas e geográficas. Há muitos cristãos que têm um enorme receio de pregar para pessoas de outras nacionalidades ou etnias, porque julgam que não conseguirão ou porque julgam essas pessoas como não merecedoras do evangelho; ou ainda pior, porque têm medo de tal região ou tal povo.
Consequentemente precisamos romper com as barreiras pessoais e de gênero.
Há homens que têm medo de pregar para mulheres e vice versa, há pessoas que nutrem ressentimentos contra outras e, por isso, não têm qualquer desejo de compartilhar as boas novas com tais pessoas. Há aqueles que têm nojo de mendigos, medo de marginais, e distanciamento de quem não faz parte do seu circulo de convivência (os crentes).
Por fim, também precisamos aprender com Jesus que para Ele o que importa não é os erros que a pessoa cometeu no passado, mas o coração com que ela o serve no presente. Muitas vezes pessoas são preteridas no ministério cristão pelo passado que tiveram, independente do que são e estão realizando agora. Esse preconceito é uma atitude farisaica, que determina a morte do transgressor. Como hoje não se pode matar fisicamente o transgressor então o matam ministerialmente.
Precisamos aprender a romper com tudo aquilo que limita nossa vida de levar o evangelho às pessoas. Que Deus tenha misericórdia de nós.
Conclusão:
Como temos convivido com aqueles que estão à nossa volta? Somos preconceituosos ou rompedores de preconceitos pelo amor de Cristo e a causa do evangelho? Se você em algum momento esteve em disputa com alguém, ou com restrições a estrangeiros ou lugares distintos dos que frequenta, ou ainda com preconceito contra determinadas pessoas por sua condição social ou sexo, hoje é a oportunidade de Deus para você romper com isso e assim como Jesus alcançar essas pessoas.
Mas se você é preconceituoso quanto a quem Deus chama para o ministério, faça um conserto por sua arrogância e por se julgar melhor que os outros, pois somente assim haverá perdão para a sua vida.