segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Refletindo sobre o papel da internet e suas implicações em nossa vida

Em 31 de outubro de 1517 Martinho Lutero publicou na porta da Igreja de Winttenberg suas 95 teses contra a Igreja de Roma.
O santo monge Lutero fez isso porque as portas das Igrejas eram os lugares onde todos iam para tomar conhecimento do que estava acontecendo. Ali pregavam convites para eventos, anúncios clericais ou governamentais, desafios para duelos e debates, etc. Isto é, Lutero sabia e queria que tudo aquilo que ele havia escrito se tornasse de conhecimento geral, para que suas ideias pudessem influenciar ou despertar o interesse ou ira daqueles que as lessem.
Hoje a Internet é o equivalente às portas das Igrejas dos séculos XV e XVI. Aqui publicamos nossos pensamentos, convites para eventos, desabafos, levantamos temas para debates e uma infinidade de coisas. Porém, qual é o nosso propósito?
Lutero tinha um propósito com as publicação de suas 95 teses e por isso as pregou ali. Ele estava muito consciente dos seus atos e possíveis consequências.
E nós, estamos conscientes do impacto de nossas publicações e de suas consequências?
Tenho pensado sobre isso com muita seriedade, pois tenho muitas coisas desagradáveis para dizer e, quando as publicar, farei consciente do seu peso e estarei pronto para arcar com as consequências daquilo que publiquei. Porque quem está disposto a publicar (esta palavra significa "tornar público") obrigatoriamente tem que estar disposto a responder pelo que publicou.
Se achar que não será capaz de arcar com as consequências de suas publicações, então não o faça. Lembre-se: somos senhores dos nossos pensamentos, mas escravos das nossas palavras, sejam elas escritas ou faladas.
Soli Deo Gloria.