segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A Igreja que agrada a Deus vive em fidelidade à Palavra do Pai


Leitura Bíblica Congregacional

JEREMIAS 35.1-19




Introdução


Vivemos em um mundo globalizado. Todos sabemos de tudo o que acontece em todo lugar e conhecemos os ídolos que surgem em todas as nações e em todas as áreas das relações humanas (esporte, política, dramaturgia, música, dança, etc.). E esses ídolos são amados e têm sido seguidos e imitados em suas palavras, maneira de vestir, opiniões e atitudes por muitas pessoas.

A Bíblia fala de um grupo de pessoas que também imitavam a conduta e acatavam a palavra de um homem mesmo depois de duzentos e cinquenta anos de sua morte.

Nessa mensagem vamos meditar sobre as implicações práticas sobre nós da atitude de amor desse povo, que gerou fidelidade, honra e obediência exemplar desse povo ao seu patriarca.

Que Deus seja glorificado em nossas vidas.




Elucidação Textual

Este evento aconteceu nos dias do rei de Judá, Jeoaquim (609 a 597 aC). Trata-se do convite que Jeremias, por orientação divina, convidou os recabitas para uma refeição no Templo a fim de ensinar uma verdade espiritual à casa de Judá.

Os recabitas eram queneus, descendentes da família de Jetro, sogro de Moisés (Jz 1.16; 4.11), descendentes das pessoas citadas em 1Cr 2.55. Eles eram estrangeiros em Israel e vistos como um povo estranho, com hábitos e cultura diferentes da dos judeus.

Eles trabalhavam com metal, fazendo armas, ferramentas e utensílios diversos. Por isso viviam como nômades na terra. De tempos em tempos viajavam de um lugar para o outro a fim de oferecerem seus serviços e explorarem o minério de ferro daquela região. Após algum tempo ali eles partiam para outra cidade para continuar oferecendo seus serviços.

Devido ao seu conhecimento metalúrgico, seu primeiro governante, Jonadabe, lhes orientou a que não se fixassem em nenhum lugar e que não bebessem, pois bêbados soltam “a tramela da língua” e poderiam ensinar a outros os segredos de seu ofício e tornarem-se dispensáveis.

Já fazia 250 anos que Jonadabe havia morrido, mas eles o amaram e amavam tanto que permaneciam fiéis ao seu “pai”, ainda que já estivesse morto.

“Este capítulo fornece uma descrição do compromisso de um grupo de pessoas de obedecer ao próprio pai, em contraste com a desobediência dos judeus a Deus” (John MacArthur).



VERDADE TEOLÓGICA

O amor é a única força capaz de manter a família unida.

Ioséias Carvalho Teixeira



sentença interrogativa

Por que só o amor pode manter uma família unida?



sentença de transição

Só amor pode manter uma família unida porque ele pode gerar fidelidade, honra e exemplo.



I – SÓ O AMOR PODE GERAR FIDELIDADE.

1.     Eles eram fiéis a Jonadabe mesmo depois de 250 anos de sua morte.

a.     Que homem exemplar deveria ser Jonadabe, pois sua palavra tinha peso mesmo depois de morto.

b.    Eles não bebiam vinho, nem se fixavam em nenhum lugar porque entendiam a palavra do seu patriarca com autoritativa sobre as suas vidas.

c.     Eles eram fiéis à palavra do seu “pai” porque o amavam.

d.    Somos levados a duas sérias reflexões. Nossa palavra tem peso sobre nossos filhos ou liderados? A Palavra de Deus tem peso sobre as nossas vidas? Somente seremos fiéis se amarmos nosso Pai.

2.     Muitos ainda hoje são fiéis a seus patriarcas mortos ou vivos.

a.     Há um grupo que é fiel ao seu patriarca que ensinou que vivemos várias vidas.

b.    Outro grupo permanece fiel ao seu patriarca que disse que Jesus, depois de cumprir sua missão na Palestina não foi para o céu, mas veio para a América.

c.     Para fechar, um terceiro grupo defende com fidelidade que seu líder é o substituto oficial de Jesus e que sua palavra e decretos têm mais peso que a própria Bíblia.

3.     Você é fiel ao nosso Pai?

a.     Diferente dos casos citados, nosso Pai não está morto, mas vive para sempre porque Ele mesmo é a vida - “Pois em ti está a fonte da vida; graças à tua luz, vemos a luz”. Salmos 36.9.

b.    Nossa fidelidade aos preceitos bíblicos é o termômetro de nosso amor a Deus.



II – SÓ O AMOR PODE GERAR HONRA.

1.     Os Recabitas honravam seu patriarca seguindo a sua palavra:

a.     Eles não bebiam vinho sob nenhuma hipótese.

b.    Eles não se prendiam a nada na terra.

c.     Eles não desonravam seu pai para agradar ninguém.

2.     Ainda hoje muitos honram seus patriarcas mortos ou vivos.

a.     Os filhos do patriarca das várias vidas perseveram seguindo sua doutrina.

b.    Os filhos do patriarca do “outro evangelho” perseveram anunciando essa palavra e dedicando dois anos das suas vidas ao serviço missionário.

c.     Os filhos do patriarca da Igreja Estado perseveram pagando seus votos e aceitando piedosamente o ensino do seu patriarca.

3.     Você honra o Pai com suas palavras e atitudes?

a.     “Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus”. Mateus 5.16

b.    “para que todos honrem o Filho como honram o Pai. Aquele que não honra o Filho, também não honra o Pai que o enviou”. João 5.23

c.     “Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações”. Provérbios 3.9

d.    “Ao Rei eterno, ao Deus único, imortal e invisível, sejam honra e glória para todo o sempre. Amém”. 1 Timóteo 1.17



III – SÓ O AMOR PODE GERAR EXEMPLO.

1.     A fidelidade e a honra que eles tinham por seu patriarca foi usada por Deus como exemplo para o povo de Judá.

2.     Da mesma forma a dedicação daqueles que se declaram como “santos dos últimos dias”  ou membros da “única igreja verdadeira” aos seus patriarcas, é utilizada como exemplo por pastores para muitas igrejas hoje.

3.     Sua vida (pessoal, profissional, estudantil, ministerial, etc) como cristão tem servido de exemplo para alguém? De que tipo de exemplo?



Conclusão: 

Por que aqueles que seguem as palavras de mortais são, muitas vezes, mais fiéis do que aqueles que afirmam servir ao Deus vivo? Penso que é porque aqueles que dizem servir ao Deus vivo, na verdade, não o servem, nem o conhecem e precisam se converter de verdade. Pois se é possível amar e ser fiel, honroso e exemplo de obediência a um mortal, como pode alguém que conhece o Deus imortal não amá-lo com fidelidade, honra e obediência exemplar?

Se sua vida não tem sido assim então você é apenas um religioso e precisa se converter de verdade.

Se o Espírito Santo confirmou essa palavra no seu coração tome uma postura diante de Deus nesse momento para a glória de Jesus Cristo.
Soli Deo Gloria!