sexta-feira, 3 de maio de 2013

Vá pescar!



Segundo o Houaiss, podemos definir antídoto sob dois aspectos: 1. Farmacologia- o que combate os efeitos de uma toxina ou veneno (diz-se de substância, medicamento, soro). 2.  Derivação- por extensão de sentido, o que evita ou corrige (vício, defeito, estado de depressão psicológica, paixão etc.), corretivo, remédio. Se me permitam, simplificando, antídoto é uma ação contrária (antítese) que anula os efeitos mortíferos de todo e qualquer espécie de veneno (substância ou existencial-psicológico). É um anticorpo, uma contrapartida, uma resistência às forças destrutivas e poderosas. Logo, antídoto é um conceito muito abrangente, mas, obviamente, o veneno também o é. Gostaria de sinalizar com um veneno que atualmente se apresenta como um dos mais nocivos à nossa saúde e que dependendo da dose é morte certa. Estou pensando na ansiedade. Os sintomas são conhecidos: sudorese, irritabilidade (até os animais pagam o pato), dor de peito e de cabeça muito fortes, braço e mão formigantes, perda de apetite e insônia (ou o oposto), depressão repentina (mesmo que não haja traumas), dificuldade de concentração e lapso de memória (fazer um monte de coisas ao mesmo tempo), hipertensão, respiração alterada, tentativa de querer resolver todos os problemas ao mesmo tempo... etc. É bom parar a lista, pois isto alimenta ansiedade e, também, por estarmos chovendo no molhado já que todo mundo conhece de cor e sorteado esta reza. Os profissionais da saúde têm sido muito competentes na conscientização deste mal. Conscientização que tem apontado para um tratamento acessível a todos os que têm um pouco de sabedoria. A receita é simples: vá pescar. Só que pescar em são Paulo está gerando mais ansiedade e stress que descanso, pense nas filas de congestionamento para deixar a cidade ou no custo que terá que pagar com o cartão estourado... é melhor e mais barato pegar a praia paulistana mesma: nossos belos shoppings. Agora, precisamos ir ao shopping para desacelerar: ponha uma roupa leve, ande sem pressa, passeie com família e amigos, curta e saboreie cada detalhe. Existe uma ordem litúrgica a ser cumprida, como uma “bela taça de vinho” para quem sabe apreciar. O segredo é curtir a vida, fazer tudo com prazer, entrar no ritmo do corpo e resistir à neurose do mercado e da mídia. Sempre haverá as lindas sereias (ou sereios) com seu canto consumista querendo nos atrair e seduzir para os penhascos e abismos das dívidas. Diz-se que Sócrates costumava passear no mercado (shopping ateniense), mas quando abordado, respondia com humor e firmeza: “apenas estou olhando quanta coisa eu não preciso para ser feliz”.  Precisamos aprender a pescar! O pescador experiente se rende ao ritmo da natureza, logo aprende que tem dia que a maré não está para peixe. É preciso lançar a rede ou linha e esperar pacientemente, senão apanhar não há problema isto também faz parte do jogo. Creio que temos algo a aprender com a Sabedoria milenar: “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus. Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas” (Fp. 4:6-8). Vejamos a receita: 1. Tolerância zero com ansiedade (coisa alguma); 2. Transforme sua ansiedade em combustível de oração; 3. Concentre-se alegremente nas bênçãos conquistadas (tome um concentrado de gratidão). Então, a luz da paz espancará as “trevas” da ansiedade, da preocupação e depressão. Finalmente, se permanecerem os sintomas, procure um médico. Talvez você precise de terapia intensiva ou de um sossega leão (tarja preta) ou camisa de força. Shalom (paz)!!!   

 (Israel Sifoleli – Pastor da Segunda IP de Ermelino Matarazzo- SP, professor de Antigo Testamento da FLAM- Arujá- SP).