sábado, 4 de maio de 2013

O PODER TRANSITÓRIO DA MENTIRA E A PERMANÊNCIA ETERNA NA VERDADE

   A mentira tem um poder de sedução interessante.
   Uma pessoa passa uma vida inteira construindo uma reputação respeitável, baseada em atitudes nobres e serviço dedicado. Então alguém movido pela inveja, pelo diabo, pelo desejo de se promover diminuindo o valor de outros ou por simples prazer de ver a desgraça alheia, inventa uma mentira. Aí então essa mentira é recebida por aqueles que a ouvem como se fosse uma verdade absoluta, e toda uma história respeitável é posta em dúvida e a pessoa passa a ser vista com desconfiança.
   O poder que a mentira tem de se passar por verdade é antigo. Começou no Éden com a serpente mentindo para o casal e eles crendo nela desobedeceram a Deus, e desde então a maldição se segue (2Co 11.3). Os homens mudaram a verdade de Deus em mentira (Rm 1.25) e amam a mentira porque sua natureza é má.
   Quando uma verdade é declarada as pessoas querem provas, evidências, algo que corrobore tal verdade; mas quando uma mentira é contada essas mesmas pessoas acreditam nela cegamente, sem nenhum questionamento ou exigência de evidências. É impressionante o fascínio e feitiço da mentira.
   Contudo aos que foram alcançados pelo poder do Evangelho e tiveram um encontro pessoal com Jesus a exortação é que "Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros" (Ef 4.25).
   Não importa se os incrédulos são escravos da mentira, o que importa é que os que de fato foram salvos, não vivem na prática da mentira, pois dos seus lábios somente pode sair a verdade uma vez que se tornaram filhos da verdade, pois os praticantes da mentira são filhos do diabo, que é o pai da mentira (Jo 8.44).
   Ainda que a mentira possa conceder algum crédito aqueles que a praticam e destruir a reputação daqueles que dela são vítimas, tudo isso tem tempo de validade, pois não há nada encoberto que não venha ser descoberto (Mt 10.26) e nada podemos contra a verdade, senão pela verdade (2Co 13.8).
   Assim como toda sedução, a mentira é transitória e gera um prazer momentâneo, enquanto que a verdade não seduz, mas conquista, pois a verdade é permanente e não pode ser vencida.
   Firme sua vida em Cristo, viva na verdade, não minta, pois você foi liberto e o poder encantador da mentira já não te afeta mais. E se você tem sido vítima da mentira de alguém, não se deixe abater, não se defenda (Jesus também não o fez) e continue confiando no poder da verdade, pois a verdade não é uma coisa ou um conceito, mas uma pessoa eterna, e ela se chama Jesus (Jo 14.6).
Que o Trino e poderoso Deus te abençoe.
Solus Christus, Sola Escriptura, Sola Fide, Sola Gratia e Soli Deo Gloria.

Obs.: As palavras VERDADE e MENTIRA foram repetidas por diversas vezes, ainda que em contextos que pudessem ser suprimidas, para que ficassem bem fixadas.