quarta-feira, 17 de abril de 2013

Reflexões de um jovem cristão brasileiro

Esse texto foi escrito pelo jovem Silas Miranda, membro da Ig. Metodista Wesleyana, no bairro São Lucas, em Volta Redonda-RJ. 
Originalmente ele o postou no Facebook para os jovens da sua denominação, mas seu texto alcançou maiores proporções. Ele mesmo me autorizou a publicar o seu texto e o faço aqui com o mínimo de adaptações possível. Penso que vale a pena ler. Segue então o texto:
  
Uma coisa me assusta.... já não se distingue tão facilmente cristãos de não cristãos, principalmente no mundo virtual. Recentemente vi no facebook alguns jovens que eu conhecia como crentes postando frases nitidadamente de linguagem profana. Coisas simples, porém que dão indícios do estado em que nós jovens estamos. Palavras como "é foda" ou "pqp" já me apareceram escritas por músicos e (pasmem) até mesmo diácono. Recentemente vi uma postagem de uma jovem que até onde eu sei era crente e filha de pais evangélicos postando: "show do rappa na Ilha São João muito bom. Ele fez homenagem ao chorão. Adeus vagabundo, você vai deixar saudades..."
????????? Como assim????
Sério mesmo que essa galera está preocupada com uma vida com Deus?? Tenho sérias dúvidas. E o pior é que sempre compartilham essas frases prontas e bonitinhas falando de Deus e de amor e blá blá blá blá
Creio que um monitor dá à pessoa a sensação de estar, talvez, protegida, escondida. Quem sabe escondida dos pais, da sua realidade, quem sabe vivendo uma vida paralela, sendo uma pessoa na net e outra na vida real.
Conheço ainda quem canta funk secular, já é até "MC", faz baile nessas noitadas por aí a fora mas se considera cristão, afinal (ele pensa) "Deus se importa com o coração".
Vou te contar um segredo: o cristianismo não é cômodo, não é fácil, não é para os indecisos, para os mascarados, não é para os que não renunciam. Não é para os que não tem disposição de defender a fé, de dar a cara, de assumir. O Evangelho não é engraçado, animado, excitante. Jesus não é um brother, um carinha legal. A igreja não é um cinema e o pecado não é uma bobeirinha....
Eu sei que o mundo nos atrai. E muito! Não deixo de ser homem porque sou crente. Não perco meus desejos porque leio a Bíblia, não posso fingir que não quero quando na verdade minha carne quase me arrasta. O bem que eu quero eu não faço, mas o mal que eu não quero persegue os meus passos - já dizia o apóstolo Paulo. Todavia, ou eu decidi viver com Deus e pra Deus ou então eu me entrego aos meus desejos e assumo logo que não sou crente coisa nenhuma. Mas não posso viver uma vida dupla!!!!
Esses dias enquanto via muitos jovens comentando e convidando uns aos outros para o tal "show na ilha" onde o pecado reina, eu vim nesse grupo e dei graças a Deus pelos jovens que decidiram renunciar e não se prostraram diante de Baal.
Graças a Deus por você, jovem cristão que permanece firme e constante, ciente daquilo que faz, daquilo que crê. Fico triste pelos que se perdem, porém feliz pelos que se dedicam ao Reino de Deus.
Eu e você sabemos que não precisamos de whisky e redbull, vodca ou big apple pra ficar "legal". Não precisamos da skol, nem do cigarro. Não precisamos pegar a mulherada pra confirmar nossa masculinidade e as meninas nao precisam ficar com vários pra provar que são lindas.
Somos separados. Somos guardados por Deus. Pena que alguns vivem uma fachada, como esses que criam seu personagem virtual, alheio à sua realidade.
Abraços, fiquem na Paz.

Por:
Silas Miranda (adaptado).