sexta-feira, 5 de outubro de 2012

O Caminho que vale a pena!


De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra. (Sl.119:9)

O Salmo 119 ganhou merecidamente o título de “gigante dos salmos” devido a seu tamanho. Talvez muitos não saibam que este salmo tem a forma de um acróstico, composto de 22 estrofes correspondendo às 22 duas letras do alfabeto hebraico, sendo que cada estrofe é composta de 8 versos e todos os versos em cada estrofe começam com a mesma letra. Tudo indica que este gigante foi escrito por um jovem (cf. 9, 99-100). Este poema-oração é na realidade uma belíssima declaração de amor à Palavra de Deus e, consequentemente, ao Deus da Palavra. O verso 9 ilustra bem o espírito do salmo, nele o salmista deixa claro que todas as questões do justo encontram respostas na Palavra. De forma específica, este verso levanta a questão da pureza. Para nós, no entanto, surge outra questão: de que pureza o salmista está falando? Talvez a primeira impressão seja uma referência à pureza sexual já que o escritor é jovem, porém um estudo mais detalhado descarta esta impressão. Menos provável ainda é a ideia de que ele estava pensando em pureza cerimonial (ligada ao culto). Na realidade, o salmista se refere à pureza ética-moral. Sua grande questão é como manter a integridade face às perseguições, calunias e hostilidades que aquela geração estava impondo aos que queriam viver de forma comprometida com a Palavra de Deus e, por conseguinte, resistiam a todo tipo de ofertas para se corromperem. O primeiro verso do salmo já antecipa uma declaração categórica: “Bem-aventurados os irrepreensíveis (íntegros) no seu caminho, que andam na lei do SENHOR”. O Salmo deixa evidente que este caminho é estreito e apertado e faz muitos inimigos, mas também, testifica que vale a pena prosseguir e não ceder às pressões, pois a Palavra é fonte de vivificação e ânimo. Será que a pergunta e a resposta do salmista são relevantes nos dias que estamos vivendo?     

Pr. Israel Sifoleli
Meu mentor espiritual.