terça-feira, 3 de julho de 2012

Estudos na Epístola aos Romanos - Capítulo 8


A EPÍSTOLA DE PAULO AOS ROMANOS
CAPÍTULO 8 – NENHUMA CONDENAÇÃO há PARA OS QUE ESTÃO CRISTO

TEXTO-CHAVE: “PORTANTO agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito.”.
Romanos 8.1

VERDADE TEOLÓGICA: “Na justificação, o pecador não é apenas perdoado, é promovido”. 
John Blanchard

ESTUDOS DE PREPARAÇÃO SEMANAL
Segunda-feira: Rm 8.1-17
Não há condenação para os que estão Cristo Jesus
Terça-feira: Hb 10.1-4
Os sacrifícios da Lei eram insuficientes para perdoar pecados.
Quarta-feira: Rm 8.18-27
As lutas não podem a ofuscar a glória a ser revelada.
Quinta-feira: I Ts 4.13-18
A glória celeste absorverá a nossa natureza.
Sexta-feira: Gl 5.22,23
Nós produzimos as primícias do Espírito.
Sábado: Rm 8.28-39
Nada pode tirar nossa segurança em Deus.

Leitura Bíblica Congregacional
Romanos 8.1-4
1-PORTANTO agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito.
2-Porque a lei do espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.
3-Porquanto o que era impossível a lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne;
4-Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o espírito.

ELUCIDAÇÃO TEXTUAL
A lei, embora revele e excite o pecado e cause divisão na personalidade, é ainda, no seu propósito, santa e boa. Seria amiga do homem, se tivesse permissão de operar; mas é enferma pela carne (3). Contudo, mediante Cristo, é forte e condena o pecado na carne, porque Cristo é absolutamente justo e reside em nosso íntimo. Também estamos em Cristo e, por esta união, cumprimos a lei (1-4). A obediência de Cristo é nossa obediência. Satisfazemos, deste modo, os reclamos da lei e desarmamo-la. Assim, neste capítulo o apóstolo traça o curso da vida cristã, na qual a graça triunfa sobre a lei, e os crentes experimentam livramento do pecado (Edições Vida Nova, 2012).
                                                                                                                                       
INTRODUÇÃO
O capítulo 8 começa como que dando uma sequencia à triste realidade exposta no capítulo 7.
A explanação de Paulo passa da luta contra a carne para o papel do Espírito Santo, que traz perdão e poder para os filhos de Deus. Ele fala da esperança que o sofrimento. Do anseio da criação pela redenção dos filhos de Deus e também dos crentes pela adoção e redenção final. Por fim, Paulo enfatiza a majestade e a glória de Deus e aponta para a segurança do plano divino de redenção.
Debata, exponha suas ideias e compreensão bíblica, mas sem nunca perder de vista a gentileza e o amor para com os que discordam. Convença-os ou seja convencido pela Palavra e não pela postura ofensiva.
Boa aula e que Deus vos abençoe.
      
I-NENHUMA CONDENAÇÃO HÁ (vv.1-17).
Ao descrever a situação do homem sem a graça no capítulo 7 Paulo enche os pulmões para declarar com todo o vigor que não há nenhuma condenação para os que estão em Cristo (v.1).
Essa afirmação significa que estamos livres da condenação dos nossos pecados, mas não das consequências temporais deles, pois mediante o perdão absoluto dos nossos pecados através da fé em Jesus nossa vida foi limpa totalmente (Rm 5.1; Is 43.25).
Após essa afirmação maravilhosa, Paulo passa a explicar o porquê de nenhuma condenação: a morte de Jesus fez o que a Lei jamais pôde fazer.  A autoridade do Espírito suplanta a Lei do pecado e da morte, que nos separava de Deus e nos condenava à morte (v.2). Ele é o Espírito que dá vida, sendo o agente do nascimento espiritual.
Contudo, mesmo tendo nascido de novo a nova natureza não possui em si o poder para anular as influências da carne. Por isso o Espírito Santo veio fazer morada em nós; para que, por seu poder, possamos anular tais influências (vícios, mentira, idolatria, bebedeiras, etc.).  Como vimos no capítulo 7,a liberdade da “lei do pecado e da morte” não significa que estamos livres das tentações da carne. Usando uma ilustração do pastor Ary Veloso, a lei do pecado e da morte é como a lei da gravidade, que sempre nos empurra para baixo, mas se tomarmos um avião, que pode superar a gravidade, então podemos subir. Assim é a vida no Espirito, podemos viver acima da lei da carne e do pecado porque Ele nos dá essa capacidade (Gl 5.16) (Veloso).
Como era impossível para a Lei libertar o pecador do seu destino fatal (At 13.38,39; Gl 3.10), ou mesmo torna-lo justo (Gl 3.21), devido à corrupção do gênero humano (Rm 7.14-20) Deus enviou Seu Filho (Sl 2.7; Gl 4.4; Fp 2.6,7; Hb 1.1-5)  (MacArthur, 2011) “à semelhança do homem pecador”; isto é, Jesus era semelhante, mas não igual (um homem morto e um vivo são semelhantes, mas não iguais). Jesus foi igual a nós no fato de que era homem verdadeiro, mas foi diferente no fato de que Ele não tinha pecado (2Co 5.21; Hb 4.15)  (Veloso).
Na Antiga Aliança animais eram sacrificados como oferta pelo pecado (Hb 10.1-4) como símbolo do sacrifício perfeito de Jesus na cruz. Desta forma “a condenação de Deus do pecado foi totalmente despejada sobre a carne sem pecado de Cristo (Is 53.4-8; cf. Fp 2.7)” (MacArthur, 2011)
A Lei exige santidade (Lv 11.44,45; 19.2), mas não tem poder para santificar o pecador, por essa causa Jesus pagou na cruz todas as exigências da Lei (Veloso).
Em razão do pecado o corpo está destinado à morte física e é instrumento da morte espiritual, mas o Espírito é vida e poder de ressurreição. Essa ressurreição dos cristãos está em estreita dependência da ressurreição de Cristo (1Ts 4.14; 1Co 6.14;15.20-58; 2Co 4.14; 13.4; Rm 6.5; Cl 1.18; 2Tm 2.11). É pelo mesmo poder e pelo mesmo dom do Espírito que o Pai, por sua vez, os ressuscitará. Esta obra se prepara desde agora numa vida nova que nos torna filhos (v.14) à imagem do Filho (v.29), que nos incorpora ao Cristo ressuscitado por meio da fé (Rm 1.16) e pela obediência à ordenança do batismo (Rm 6.4) e da ceia (Jo 6.54) (Paulus, 2002).
Por isso fomos feitos herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo (v.17).

II-NENHUMA LUTA PODE OFUSCAR A GLÓRIA A SER REVELADA (vv.18-27)
Uma vez que em Jesus fomos livres de toda e qualquer condenação, nada poderá se comparar com a nossa completa salvação que se dará na redenção plena de nosso corpo corruptível (1Co 15.53,54) na volta do Senhor.
Toda criação geme esperando pela redenção dos filhos de Deus, quando seremos libertos do “corpo dessa morte” (Rm 7.24) para receber a glória celeste (1Ts 4.13-18),  e isto é confirmado em Romanos 8.23.
Da mesma forma a natureza aguarda esta ressurreição porque ela foi submetida à degradação por causa da queda do homem, pois a Terra foi amaldiçoada por isso (Gn 3.17) e aguarda a redenção dos filhos de Deus para que a maldição seja retirada e ela seja feita “novos céus e nova terra” (2Pe 3.13).
O pastor John Stott comentando o verso 22 diz: “às dores de parto seguirão as alegrias do nascimento... o universo não será destruído, mas sim libertado, transformado e inundado da glória de Deus” (Hb 2.14).
Da mesma forma que a criação, nós também gememos e esperamos com expectativa que nossos corpos sejam transformados e se manifeste o que havemos de ser (1Jo 3.2). Já temos as primícias do Espírito, que significa que os primeiros frutos do Espírito já estão “brotando” em nossa vida (Gl 5.22,23) e que a ressurreição é a colheita final.
O que temos até agora, temos na “esperança”, mas ainda não estamos vendo claramente tudo concretizado. A redenção dos nossos corpos é de fato a esperança da glória que em nós há de ser revelada! (v.24,25). Por isso esperamos pacientemente e nos alegramos antecipadamente.
O Espírito que habita em nós também geme (vv.26,27), nos ajudando em nossas fraquezas, como naqueles momentos em que não sabemos como orar ou o que pedir e então mantemos um silêncio perturbador e chegamos a chorar porque a angústia é intensa, mas não sabemos expô-la para Deus. Nestas horas o Espírito Santo, que mora em nós e conhece nossa angústia, ora por nós, por que Deus sonda os corações e conhece a intenção do Espírito que ora por nós de acordo com a vontade do Senhor.
Você não está sozinho nas suas lutas, o Espírito Santo está contigo e intercede em seu favor. Creia nisso sempre!
                                                     
III–NADA PODE TIRAR NOSSA ETERNA SEGURANÇA EM DEUS (vv.28-39)
Há um propósito que nos dá razão para viver e no qual podemos descansar.
Primeiro, podemos descansar na certeza de que no passado Deus era por nós (vv.28-30). Porque, por nos amar faz com que todas as coisas contribuam para o nosso bem (ainda que nós só venhamos a entender plenamente esse fato na eternidade). Porque no passado Ele nos conheceu (v.29), nos predestinou (v.29), nos chamou (v.30), nos justificou (v.30) e nos glorificou (v.30). Veja que essas expressões estão no plural e se referem à Igreja e não a indivívuos.
Agora, no presente Deus é por nós (vv.31-34). Tudo o que precisamos para que se cumpra o propósito de Deus para as nossas vidas já nos foi concedido e está disponível mediante o sacrifício de Jesus (vv.31,32). Também temos a alegria de saber que Deus é por nós porque Ele não aceita acusação sobre os eleitos (v.33), não aceita condenação contra os eleitos (v.34) e intercede por nós (v.34).
Por fim, descansamos seguros em saber que no futuro Deus será por nós (vv.35-39). Ainda que passemos pelas mais terríveis provações, estaremos guardados debaixo do amor de Deus e nada nos separará dele (v.35). Não importa pelo que passaremos; nem a morte pode nos vencer porque já somos mais que vencedores por aquele que nos amou, ainda que não compreendamos isso hoje o futuro nos assegura essa certeza (vv.36,37).
No futuro Deus será por nós porque não permitirá separação nem por calamidades (vv.35-37), nem por vida ou morte (v.38; Rm 14:8), nem por poderes angelicais (v.38), nem no presente ou porvir (v.38), nem por influência astrológica (v.39), nem por diferente criatura (v.39).
Descanse na certeza de que a sua fé genuína em Deus é a segurança de que ontem, hoje e para sempre o Senhor está te guardando.

CONCLUSÃO
Você foi livre de toda condenação ao entregar sua vida a Jesus e tem aprendido que as lutas que envolvem a vida cristã não podem ofuscar a certeza da glória de há de ser revelada a nós. Por isso, estamos descansados na certeza de que Deus é conosco e nada poderá nos separar do seu amor, pois isso não depende de nós, mas do Seu Espírito que nos ajuda em nossas fraquezas.
Romanos 8 é um bálsamo curativo para almas sofridas e sob lutas intensas. A certeza de que o Senhor está conosco é consoladora e muito fortalece nosso ânimo na caminhada, pois não importam a dimensão das lutas, a vitória do Senhor para nós é infinitamente maior.