sexta-feira, 1 de junho de 2012

Princípios para o exercício do ministério pastoral


João 6:5-13;26

Introdução:
Esse texto nos apresenta um milagre fantástico de nosso Senhor Jesus: a multiplicação de cinco pães e dois peixinhos para alimentar uma multidão que só de homens tinha cinco mil, sem contar mulheres e crianças. Isso quer dizer que Jesus deve ter alimentado pelo ao menos umas dez mil pessoas com aqueles cinco pães e dois peixinhos.
Mas meu propósito nessa mensagem é apresentar quatro princípios que esse texto transmite e que podem nos ser muito úteis no ministério pastoral. Vejamos:

Transição: O primeiro princípio que jamais devemos esquecer é que devemos sempre depender do Senhor e não do que achamos que deveríamos ter:

    I.                    I - Dependa exclusivamente de Jesus.
a.  Jesus pergunta para Filipe: Como alimentar essa multidão?
b.  Parafraseando o Senhor: E aí, o que fazer para alimentar essa turma toda (vv.5,6)?
c.  Filipe responde: É preciso muito dinheiro para alimentar precariamente esse povo e nós não temos tudo isso (v.7).
d.  É interessante notar que a multidão segue a Jesus, mas quem deve alimenta-la são os discípulos (futuros apóstolos).
e.  Hoje há uma enorme multidão de cristãos que seguem a Jesus, mas quem deve alimentá-los somos nós, os pastores (Ef 4.12 – essa é a missão do pastor).
f.    Quantos domingos nós pastores já não ficamos assim, igualzinho ao Filipe? “O que é que eu vou dar pra esse povo hoje?” porque Jesus nos provou até o último minuto.
g.  Quantas vezes não somos como Filipe:
                                        i.    É preciso ampliar a igreja, mas nós não temos dinheiro.
                                       ii.    É preciso pregar substancialmente, mas eu não tenho tempo para preparar.
                                     iii.    É preciso fazer missões, mas é muito caro manter um missionário.
h.  Ficamos preocupados com aquilo que deveríamos ter em recursos para começar qualquer coisa e deixamos de confiar no Senhor.

Transição: Por isso é preciso que aprendamos o segundo princípio fundamental para uma vida pastoral eficaz:

 II.        II - Use os recursos que te foram fornecidos porque o Senhor os multiplicará
a.  Cinco pães e dois peixinhos dão?
b.  Enquanto Filipe está preocupado apenas com o aspecto técnico e material da necessidade, André parece mais focado na fé e apresenta a Jesus um menino que tinha cinco pães e dois peixinhos (vv.8,9). O que, obviamente, era impossível para alimentar aquela grande multidão.
c.  André usa o recurso de um menino no meio do povo para apresentar a Jesus uma proposta de solução e é a partir daí que o milagre começa a acontecer.
d.  As pessoas estão em pé, com fome e Jesus manda que os discípulos peçam que elas se assentassem e então dá graças ao Pai por aquilo que ele tem nas mãos e em seguida manda distribuir à multidão tanto quanto desejassem (vv.10,11).
e.  Lição
f.    São as pessoas que seguem a Jesus sob o nosso apascentamento que nos fornecem o “básico” para alimentar o rebanho, e nós fazemos isso a partir das necessidades que surgem de suas histórias de vida reais.
g.  A vivência pastoral ao lado das suas ovelhas, compartilhando com elas de suas lutas, derrotas e vitórias são os “cinco pães e dois peixinhos” que o Senhor multiplicará em bênção por meio da Sua Palavra para muitos outros a partir do momento em que nós levarmos a Ele.

Transição: Essas experiências com nossas ovelhas se multiplicarão em mensagens que satisfarão as suas almas e farão sobrar experiências para outras ocasiões:

III.        III - Não desperdice aquilo que o Senhor multiplicou através de você.
a.  Sobrou alguma coisa?
b.  Jesus não aceita que se desperdice nada e os discípulos recolheram doze cestos cheios de pedaços que sobraram dos cinco pães.
c.  Lição:
d.  Assim também, nossas experiências pastorais se multiplicam e geram muitos fragmentos de nossa relação com o sagrado que podem alimentar muitas vidas a partir daquilo que já vivenciamos alimentando outros.

Transição: Mas a base da “dieta” com que estamos alimentando nosso rebanho determinará porque motivo eles seguem a Jesus:

IV.        IV - O povo vai te seguir ou não com base naquilo que você lhes oferece.
a.  A multidão se deu ao trabalho de atravessar o mar da Galileia de Tiberíades até Cafarnaum para irem atrás de Jesus por causa do pão que foi multiplicado (vv.22-26).
b.  Lição: que tipo de “pão” estamos oferecendo?
c.  Nossa igreja atrairá as pessoas por aquilo que lhes oferecemos:
                                        i.    Se a igreja se baseia em assistencialismo ela atrairá pessoas interessadas em sua assistência social.
                                       ii.    Se ela oferece shows de música ela atrairá pessoas interessadas em se divertirem ou entreterem.
                                     iii.    Se ela oferece milagres ela atrairá pessoas interessadas em serem curadas ou em receber determinadas bênçãos.
                                    iv.    Se ela oferece prosperidade ela atrairá pessoas interessadas em enriquecerem-se.
                                      v.    Porém, quando essas coisas não acontecerem mais, as pessoas abandonarão essas igrejas e esses pastores.
                                    vi.    Mas, se a Igreja/pastor oferece a Palavra de Deus pregada na íntegra ela atrairá pessoas interessadas em conhecer a Deus e à sua vontade e essas pessoas jamais se afastarão daquela igreja porque a Palavra de Deus é um tesouro inesgotável (Rm 11.33).
CONCLUSÃO:
A vida pastoral eficaz começa por uma dependência total do Senhor Jesus e não daquilo que podemos obter por nós mesmos. Passa por humildemente apresentarmos a Ele os recursos que nos foram fornecidos e confiar no seu poder. Resulta na multiplicação do nosso pouco recurso por Sua graça e poder. E culmina com a administração da “dieta” correta ao povo que está sob o nosso pastoreio achegando-os cada dia mais ao Altíssimo.
Que o Santo Senhor nos ajude.

Pr. Ioséias C. Teixeira.
19 de novembro de 2011 – Dia do Pastor Congregacional.