domingo, 8 de abril de 2012

Edificando um lar com sabedoria


Provérbios 24:3
“Com sabedoria se constrói a casa, e com discernimento se consolida”.
Não importa o quanto sabemos da Bíblia, o que importa é o uso que fazemos desse saber.
A Bíblia tem 219 vezes a palavra sabedoria mencionada em suas páginas e isso significa que a palavra sabedoria aparece a cada cinco capítulos e meio, aproximadamente. 52 vezes a palavra aparece no livro de Provérbios, e isto representa ¼ do total das citações bíblicas.
Segundo a definição do dicionário informal sabedoria “É o dom que nos permite discernir qual o melhor caminho a seguir, a melhor atitude a adotar nos diferentes contextos que a vida nos apresenta. Exemplo clássico: Salomão, quando as duas mulheres reivindicaram cada uma a maternidade da criança viva”[1].
Qual o grande problema com os relacionamentos hoje, inclusive o casamento? As pessoas sabem muito sobre diversos assuntos, mas não conseguem fazer uma ponte entre o que sabem e a sua vida prática.
Como fazer então para ter uma vida de sabedoria no lar.
Primeiro: Buscar conhecimento.
Não há sabedoria sem conhecimento – A sabedoria é a aplicação prática do conhecimento.
“As palavras dos sábios espalham conhecimento; mas o coração dos tolos não é assim” (Pv 15.7).
“Peço que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso Pai, dê a vocês espírito de sabedoria e de revelação, no pleno conhecimento dele” (Ef 1.17).
“Por essa razão, desde o dia em que o ouvimos, não deixamos de orar por vocês e de pedir que sejam cheios do pleno conhecimento da vontade de Deus, com toda a sabedoria e entendimento espiritual” (Cl 1.9).
Segundo: Aplicar o conhecimento.
Sabedoria é aplicar o conhecimento – Ouvir e não aplicar na vida não é sabedoria é informação apenas.
“Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando vocês mesmos. Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência. Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e perseverava na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu, mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer” (Tg 1.22-25).
Terceiro: Como edificar um lar com sabedoria.
Para o homem:
A Bíblia ensina o homem a amar a sua mulher (você ama a sua mulher?) – Amar significa dedicar tempo e atenção à pessoa amada, abrir mão dos próprios interesses para o bem dela.
“Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela” (Ef 5.25).
“Maridos, ame cada um a sua mulher e não a tratem com amargura” (Cl 3.19).
A Bíblia ensina que o marido deve prover as necessidades fundamentais do lar – “E ao homem declarou (...) Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão, até que volte a terra, visto que dela foi tirado; porque você é pó e ao pó voltará” (Gn 3.17a,19).
A Bíblia ensina que o marido deve ser o sacerdote do lar – “Se uma mulher que vive com seu marido fizer um voto ou obrigar-se por juramento a um compromisso e o seu marido o souber, mas nada lhe disser e não a proibir, então todos os votos ou compromissos pelos quais ela se obrigou serão válidos. Mas, se o seu marido os anular quando deles souber, então nenhum dos votos ou compromissos que saíram dos seus lábios será válido. Seu marido os anulou, e o Senhor a livrará” (Nm 30.10-12).

Para a mulher:
A Bíblia ensina a mulher de se submeter ao seu marido (você obedece à liderança de seu marido?) – Submissão significa: “Ato ou efeito de submeter.
Obediência voluntária; sujeição: submissão perfeita”[2].
“Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor” (Ef 5.22).
A Bíblia ensina que a mulher deve ser uma companheira para o seu marido – Companheirismo é parte fundamental da missão da mulher, pois todo homem é dependente da amizade e apoio de sua esposa.
“Então o Senhor Deus declarou: Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda” (Gn 2.18).
A Bíblia ensina que a mulher deve ser uma ajudadora – A ajudadora é, muitas vezes, aquela que dá suporte ao cansado, esgotado ou desvalido. Portanto, isso não a torna menor que o homem em nada, pois a Bíblia diz que o Senhor é o nosso auxílio e, com certeza, Ele é infinitamente superior a todos nós. (Gn 2.18; cf. Sl 40.17). Isto é, ser auxiliadora aponta para ser o ponto de apoio e suporte para um marido cansado, angustiado, perplexo, etc.,
A Bíblia ensina que a mulher é quem protege e delimita o seu homem – “Então o Senhor Deus declarou: Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda (Gn 2.18), isto significa; que lhe sirva de proteção; sobretudo emocional e psicológica (se é que há alguma diferença entre ambos).
A mulher sábia protege seu marido emocionalmente deixando claro para qualquer outro homem que ela “é uma propriedade que já possui dono” (1Co 7.4). Ela também estabelece limites emocionais ao seu homem, que jamais deve ultrapassar a sua proteção (pois ele também é sua propriedade particular – 1Co 7.4) e se envolver com outra mulher.
Por fim a mulher sábia protege o seu marido guardando a privacidade do lar, não permitindo que o que diz respeito à vida particular e íntima do casal seja tornada pública. 

Conclusão:
É fato que muitos outros textos poderiam ser explorados para nosso estudo; contudo, isso fugiria ao nosso propósito essencial, que é de promover uma reflexão bem focada e sintética acerca da edificação de um lar com sabedoria.
É sempre importante lembrar que sabedoria é muito mais que conhecimento teórico, é aplicação prática de tal conhecimento nas situações reais da vida.
Sejam sábios em aplicar seu conhecimento da Escritura na vida conjugal e desfrutem das bênçãos de Deus no lar.
Deus vos abençoe.
Pr. Ioséias.



[1] http://www.dicionarioinformal.com.br/sabedoria/
[2] http://www.dicio.com.br/submissao/