quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Homilética - O sermão expositivo.

O sermão expositivo tira da Palavra de Deus os argumentos principais da exegese ou exposição completa de um trecho mais ou menos extenso. O Dr. C. W. Koller, famoso professor de homilética, define sermão expositivo com esses argumentos:
     1. O "Sermão Expositivo" consiste da "Exposição" mais aplicação e persuasão (argumentação e exortação). Uma "exposição" torna-se um sermão, e o mestre torna-se pregador, no ponto em que é feita uma aplicação ao ouvinte, com vistas a alguma forma de resposta, em termos de fé ou entrega.
     2. O "Sermão Expositivo" extrai os seus principais pontos, ou o subtítulo dominante de cada ponto principal, do particular parágrafo ou capítulo do livro da Bíblia de que trata.
J. Braga define o sermão expositivo como aquela mensagem "em que uma porção mais ou menos extensa da Escritura é interpretada em relação a um tema ou assunto. A maior parte do material deste tipo de sermão provém diretamente da passagem, e o esboço consiste em uma série de idéias progressivas que giram em torno de uma idéia principal".

Características do sermão expositivo:
  1. Unidade. Não é um mero comentário de textos bíblicos e, sim, uma análise pormenorizada e lógica do texto sagrado.
  2. Presta-se melhor à exposição contínua de um livro inteiro ou de uma doutrina.
  3. É de grande valor para o desenvolvimento do poder espiritual e da cultura teológica do pregador e de sua congregação.
  4. Inclina-se mais à intérpretação natural das Escrituras do que à alegórica.
  5. É o método mais difícil, apreciado pelos que se dedicam à leitura e ao estudo diário e constante da Bíblia..
EXEMPLO:
 Tema: Dois tipos de cristão.
 Texto: Lucas 10.38-42

Introdução: Todos os cristãos são discípulos de Jesus, sendo salvos por Sua divina graça; mas nem todos são iguais. De fato, estudando as atitudes das duas discípulas de Betânia, Marta e Maria, a quem o Senhor amava e em cuja casa gostava de estar, descobrimos nelas dois tipos de cristão. Vejamos, pois, em face do texto, quais são esses tipos.

I - CRISTÃOS MAIS PREOCUPADOS COM O ASPECTO MATERIAL DA VIDA CRISTÃ DO QUE COM O ESPIRITUAL - v. 40.
  1. Marta, não obstante ter sido uma boa crente, representa esse tipo de cristão.
  2. Notemos que Marta provavelmente estava preparando uma refeição para o Senhor e Seus discípulos - v.38.
  3. Ou, talvez, após oferecer a refeição, tenha se dedicado a outros trabalhos domésticos, aos quais deu mais importância do que ao aprendizado dos mistérios do Reino de Deus, aos pés de Jesus - v. 42.
  4. Essa atitude arrastou Marta - como também acontece com qualquer cristão - aos seguintes estados:
    • Viver preocupado - "te preocupas com muitas coisas". Queremos fazer diversos negócios ao mesmo tempo preocupamo-nos com a possibilidade do prejuízo ou do fracasso.
    • Viver ansioso - "Marta, estás ansiosa". A ansiedade é fruto de alguma preocupação de ordem material ou moral, a falta de confiança na providência de Deus. Ela pode gerar graves disturbios físicos com consequências fatais.
    • Viver perturbado - "Marta, andas perturbada". Os cristãos que coloca os valores materiais em primeiro plano em sua vida não pode deixar de ter perturbações, porque quase sempre confia mais em sua própria habilidade do que no Senhor, para solucionar seus problemas.
    •  Censurar os cristãos mais espirituais ou chamá-los de fanáticos, porque preocupa-se mais com as coisas do Reino de Deus. "Senhor, não te importas que minha irmã me deixe servir só?".
  5. Desse modo, os cristãos que andam assoberbados de serviços e negócios não dispõem tempo:
    • Para falar com o Senhor em oração;
    • Para ler Sua Palavra e nela meditar;
    • Para dar testemunho do poder salvador de Jesus;
    • Para ir à igreja ou tomar parte das atividades eclesiásticas.
II - CRISTÃOS QUS SE PREOCUPAM MAIS COM O ASPECTO ESPIRITUAL DA VIDA CRISTÃ DO QUE COM  O MATERIAL - v. 42.
  1. Maria sabia que era seu dever ajudar a irmã no serviço doméstico; entretanto, sentia que maior era o dever de ouvir e aprender de Jesus aquilo que ninguém poderia ensinar melhor que Ele.
  2. Os serviços domésticos, sempre ela os poderia fazer, mas ouvir a Palavra da vida dos lábios de Jesus era raro. Por esse motivo, não queria perder tal oportunidade. Assim deve proceder todo cristão.
  3. Não há prejuízo, mas somente lucro em pararmos um pouco as atividades materiais ou os negócios a fim de nos dedicarmos ao serviço e interesses do Reino de Deus.
  4. Os cristãos que submetem seus interesses aos de Jesus sempre:
    • São espirituais.
    • São fervorosos.
    • Não têm preocupações obsessivas de ordem material.
    • São confiantes na providência e no amor de Deus.
    • Têm paz e tranquilidade de espirito.
    • Têm satisfação e prazer em ser cristãos.
    • Escolhem a melhor parte, que jamais lhes será tirada, e crescem "na graça e no conhecimento de Jesus".
CONCLUSÃO:
A que tipo pertencemos nós? Se do tipo de Maria, somos bem-aventurados. Entretanto, não devemos nos orgulhar disso, mas persistir humildemente no mesmo caminho. Se, porém, somos do tipo de Marta, atendamos às advertências carinhosas do Senhor e mudemos de rumo para nossa felicidade e para a glória de seu nome.

Fonte: Reifler, Hans Ulrich; Pregação ao alcance de todos, Ed. Vida Nova.