domingo, 24 de julho de 2011

O legado de Amy Winehouse

1 - SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
2 - Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,
3 - Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,
4 - Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,
5 - Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.
2 Timóteo 3.1-5

No dia de ontem, 23 de julho de 2011, morreu Amy Winehouse com 27 anos.
Esta jovem, linda e extremamente talentosa veio a óbito de forma tão melancólica e tão cedo por ter escolhido viver uma "vida louca", "de pé embaixo", "acelerando até o talo", e motivando pessoas no mundo inteiro a adotar o seu estilo de vida. Afinal, ela vive assim e é rica, faz sucesso e todos a amam; pensam muitos jovens e até mesmo adultos.
Embora a necrópsia ainda não tenha sido realizada, sendo programada para amanhã, segunda-feira; não é difícil imaginar o que causou a morte dessa menina tão talentosa.
Mas o que me preocupa é o legado de Amy para o jovens. Temos vivido dias em que o anti-heróis são venerados quase como se fossem deuses. Garotos que brincam de polícia e ladrão hoje brigam para serem os ladrões e não a policia, porque cresceram tendo a idéia de que policiais são maus e covardes e os criminosos são ousados, corajosos e agem como Robin Wood. Adolescentes veneram a conduta de pessoas como Amy porque elas são o símbolo da "liberdade" e da rebeldia contra os "sistemas ultrapassados" que os seus pais querem lhes impor.
Como a vida parece infinita para eles, então acreditam que podem fazer o que quiserem que tudo ficará bem, pois "eles aguentam", dizem.
Para piorar, a mídia ainda ajuda. Filmes são feitos apresentando essas pessoas como idealistas, bondosos, etc. Quem não se lembra do filme sobre Cazuza? Um rapaz rebelde, desobediente aos pais, drogado e alcoólatra, que praticava sexo sem o menor cuidado consigo ou com a outra pessoa e que por isso contraiu AIDS. Contudo, no filme sobre a sua vida é apresentado como um "bom menino", um "incompreendido", um "modelo". Mas modelo de quê?
O que aconteceu? Onde estão os Martin Luther King Jr., os Chico Serra? Não, só restaram os Cazuza, as Bruna Surfistinha, as Amy. Pelo menos para a mídia parece que sim.
Já pensou se todos decidissem viver como vivem esse "ícones" de comportamento?
Amy Winehouse deixou um legado de uso de drogas, bebedeiras, cancelamento de compromissos com shows por causa de sua condição física.
Hoje pela manhã, em frente à casa de Amy, haviam vários objetos depositados ali pelos seus fãs como uma forma de homenageá-la. Em meio a todos esses objetos haviam diversos maços de cigarro, garrafas de bebidas e taças. Objetos que representam bem a vida que essa menina viveu e que, todos sabem, não fazem nada de bom a quem os consome; e ela é um exemplo fatal do que é viver escravizado por esses vícios.
A pergunta que deve ser feita aos jovens é: "Você quer mesmo viver como Amy Winehouse?"
Espero que nossos meninos e meninas entendam que o legado de Amy é um legado de tristeza e destruição de uma bela carreira por causa de uma vida inconsequente e devassa.
Que os versículos que foram colocados no início desse texto possam ser um alerta para você, meu querido leitor.
Deus te abençoe.