quinta-feira, 29 de abril de 2010

A ADORAÇÃO DO MÉTODO EM LUGAR DE DEUS

TEXTO: Números 21.4-9; II Re 18.4.
INTRODUÇÃO:
Nossa reflexão de hoje tem o objetivo de analisar um evento passado na vida de Israel e o método de atuação de Deus para aquele momento e como os homens perpetuaram o método do Senhor, valorizando-o acima do próprio Deus por vários anos.
Ainda iremos ver como o Senhor usou um homem para destruir o “método” e construir o novo de Deus através de uma relação de entrega e comunhão com o Senhor.
1. O PECADO DO POVO TRAZ PUNIÇÃO
a. O povo de Israel pecou gravemente contra o Senhor e contra Moisés acusando-os de tê-los levado até ao deserto para morrerem ali e chamando o maná de “pão tão vil” (Nm 21.5).
b. Com essa murmuração estavam dizendo que Deus não era justo nem capaz de lhes dar algo melhor.
c. O Senhor então se ira contra o povo e o pune com o envio de serpentes que receberam o nome de “ardentes” por causa da inflamação causada pela mordida venenosa (Nm 21.6) que causava a morte de suas vítimas.
2. O MÉTODO DE DEUS TRAZ SOLUÇÃO
a. Diante do juízo divino o povo de Israel se arrepende e confessa o seu pecado, pedindo ao seu líder que orasse por eles (Nm 21.8).
b. Lição: pecado confessado é pecado perdoado (Pv 28.13).
c. O Senhor, na sua misericórdia fornece o escape por meio de uma serpente de metal, indicando que a causa do pecado torna-se a forma através da qual o pecado é expiado (Nm 21.9).
d. Portanto, essa serpente de metal era o método de Deus para aquele momento específico e nada mais. Passado o período de juízo ela deveria ser descartada.
3. A ADORAÇÃO DO MÉTODO TRAZ DESOLAÇÃO
a. Passados cerca de 700 anos aquela serpente ainda estava no arraial do povo de Deus, e pior ainda, ela era adorada (II Re 18.4).
b. Devido ao fato de o Senhor haver feito um grande milagre por meio daquela serpente de bronze as pessoas passaram a adorar a serpente em vez do Senhor.
c. Assim também muitos hoje têm adotado uma postura semelhante à do povo de Israel adorando os métodos de Deus ao invés do Deus do método. Tornando sagrado aquilo que não é.
d. Muitos cristãos hoje estão vivendo com o pensamento no passado dizendo: “antigamente Deus agia assim e assim, hoje já não é a mesma coisa”, “antigamente a música era verdadeira adoração, hoje a música não é mais adoração”, “antigamente o ritmo de louvor era ungido, os ritmos de hoje não têm mais unção”, por aí vai.
e. Valorizar mais o método (tradição) do que o Senhor é pecado de idolatria.
4. A ADORAÇÃO AO SENHOR TRAZ SALVAÇÃO
a. O Rei Ezequias estava disposto deixar o método antigo para fazer algo novo para o Senhor e restituir a adoração a Ele (II Re 18.5).
b. Muito mais importante do que os métodos é a observância dos mandamentos do Senhor (II Re 18.6).
c. Por essa decisão de buscar a Deus acima de todas as coisas (II Re 19.1ss) o Senhor deu a Ezequias todas as condições de enfrentar o seu inimigo (II Re 19.32-34).
d. O Senhor então muda o seu método e lhe dá a vitória sem que ele nem mesmo desembainhasse a sua espada (II Re 19.35-37).
e. A lição ensinada aqui é que não importa quais os métodos os outros têm usado o Senhor nos dará um método específico para o trabalho que ele tem conosco.
f. Portanto, o que precisamos é orar mais para estarmos em perfeita sintonia com o querer de Deus para os nossos dias.
g. Quando adoramos ao Senhor com um coração aberto ele sempre nos revelará a estratégia correta para nós, nos restando apenas confiar e agir de conformidade com a Sua vontade.
CONCLUSÃO:
Embora o Senhor tenha feito coisas grandes e maravilhosas no passado por meio de determinados métodos de trabalho hoje Ele tem métodos novos para realizar coisas novas por nosso intermédio. Embora Deus esteja fazendo coisas maravilhosas em outros lugares por meio de seus servos, Ele tem outras coisas maravilhosas para nós onde estamos, pois cada povo vive uma realidade diferente. Embora Deus possa estar realizando coisas grandes por meio do método que Ele nos deu para esses dias é preciso estar atento ao Senhor, pois a cada dia Ele nos faz conhecer novos meios de Sua ação.
Não fique preso ao passado ou ao método. Prenda-se ao Senhor e às coisas novas que Ele sempre faz.