segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Tocando com as letras

A escrita é, sem sombra de dúvida, a maior conquista da humanidade. Todo desenvolvimento que vemos hoje nas mais variadas áreas tem uma grande dívida para com a descoberta e o desenvolvimento da escrita. O uso da escrita é fundamental para a transmissão de idéias e de conhecimento técnico de uma forma permanente, que possibilite que tal informação jamais se perca, mas que esteja ao alcance de gerações futuras para o seu benefício.
O relatado acima também pode ser aplicado à igreja em todos os sentidos; afinal, nós somos o povo do “livro”. Este livro, a Bíblia, é fruto do desejo de Deus em comunicarmos sua verdade; isto é, a única verdade de fato, a verdade daquele que detém todo o poder no céu e na Terra, e que, portanto, tem a palavra final. Deus tem tanto apreço pelas letras que a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade é denominada o Verbo ou a Palavra, e recebeu esta designação porque revela em si a essência do Altíssimo, comunicando com exatidão o que consiste o ser de Deus em sua plenitude.
Jesus, o Verbo Eterno, é a palavra manifesta e encarnada de Deus.
Com base nisso é visível que a escrita deve ser, talvez, a maior arma com a qual os ministérios da igreja poderão tornar evidentes e permanentes as suas aspirações e realizações, assim bem como influenciar a comunidade em que está inserida mediante seus escritos. Todos os departamentos da igreja deveriam se mobilizar em comunicar-se sempre por meio de documentos escritos, pois isso tornaria evidente a responsabilidade e o comprometimento de tal departamento para com os seus projetos e conquistas. Outra grande iniciativa seria a criação de slogans que serviriam de lemas para as atividades de tal departamento, e que, por fim, acabaria por identificar-se plenamente com o mesmo. Todos sabemos o quanto um slogan pode influenciar toda uma população, e até uma geração. Para ser contemporâneo basta citar a frase “fome zero” para a relacionarmos com o presidente Lula ou ao Governo Federal. Isso também pode ser uma realidade quanto ao ministério em que estamos trabalhando, e sobretudo, à causa do Reino.
Deus é o foco central da nossa vida e também deve ser dos nossos textos. Influenciemos o mundo através das letras que exaltam ao Santo Senhor e por isso podem mudar vidas. Que o Senhor unja nossas mentes e mãos.

Ioséias C. Teixeira