quinta-feira, 27 de novembro de 2008

O MINISTÉRIO DO ENSINO

Texto: Mateus 28:20

Introdução
O ensino está explícito na vida das pessoas tão intimamente que ocorre sem que percebamos. Todos ensinam. Desde crianças; ensinamos os mais novos as brincadeiras que eles não conhecem. Na adolescência queremos ensinar nossos pais a nos entender; e como adultos ensinamos os mais jovens e nossos contemporâneos com base nas nossas experiências e cultura. Enfim, todos aprendemos. Porém, a Bíblia nos fala sobre um campo mais restrito de ensino, um ministério, um sacerdócio, que diz respeito a pessoas chamadas e eleitas por Deus para o ministério, mas que não isenta os demais cristãos de ensinarem e fazerem conhecidos os desígnios de Deus para a humanidade, conforme veremos neste opúsculo.
Que o altíssimo fale ao seu coração por meio deste pequeno estudo em nome de Jesus.

I- Como o ministério do ensino é descrito na Bíblia
A Bíblia é um livro didático por si mesmo, pois foi divinamente projetada para nos instruir dentro da vontade de Deus, como nos declara Paulo em II Timóteo 3:16.
O ministério do ensino é descrito como sendo originário em Deus, posto que Ele sempre esteve preocupado em ensinar ao homem a verdade que produz vida (Hebreus 1:1).
A Bíblia deixa claro que o ministério do ensino deve ser exercido por aqueles que possuem o conhecimento da verdade divina (Deuteronômio 6:4-7; Malaquias 2:7; I Timóteo 4:11), e que quem ensina deve ser dedicado (Romanos 12:7), pois haverá de receber mais duro juízo de Deus (Tiago 3:1).
O ensino bíblico é a única fonte de liberdade para o homem que quer se aproximar de Deus (João 8:31 e 32).

II- O que é ensinar?
Ensinar é transmitir conhecimento a alguém por vários modos, mas principalmente por meio da comunicação direta. Porém, nós podemos ensinar por meio do exemplo de vida, por meio da literatura, pela prática de alguma atividade, etc. Sobretudo, ensinar é comunicar vida a alguém, pois nenhum ensino surtirá efeito se não vier acompanhado de um exemplo consistente e verdadeiro. (II Coríntios 3:2-3)

III- Porque Deus instituiu o ministério do ensino
Deus instituiu o ministério do ensino no Éden, com o claro propósito de revelar-se progressivamente ao homem. NEle o homem descobriria a vida, no real e completo sentido da palavra, vindo, então, a gozar a plenitude do que Deus houvera planejado para a humanidade.
Nesta Relação, o homem aprenderia a amar a Deus; o que implicitamente inclui adorá-lo, cultuá-lo e obedecê-lo. (Gênesis 2:15-17; 3:8)
Após a queda, Deus ainda se manifestou ao homem por meio da comunicação direta por algum tempo, porém, não com a mesma intimidade (Gênesis 6:31-22; 7:1; 18:20-21). Posteriormente, veio a responsabilidade familiar no ensino (Gênesis 18:19), mas, sempre, com o intuito de revelar-Se ao homem.

IV- Como era exercido esse ministério no Antigo Testamento
No período dos patriarcas Deus comunicava-se diretamente aos homens escolhidos para revelar-lhes seus propósitos. (Gênesis 12:1-3; 31:3)
Nos dias de Moisés, o ensino passou a ser realizado pelo método empírico, através de lutas, provações e dificuldades; e também, por meio de símbolos, festas e leis. A transmissão do ensino podia ser realizada em reuniões públicas por meio de Moisés e seus delegados (Deuteronômio 1:18; 31:12-13), como pela ênfase à responsabilidade dos pais neste ministério (Deuteronômio 6:7; 11:18-19).
Depois de Moisés, o ensino ficou sob o encargo de duas classes específicas de pessoas: os sacerdotes (II Crônicas 15:3) e os profetas (I Samuel 12:23). Também os reis, quando eram fiéis ao Senhor, cooperavam com o ensino dos sacerdotes e profetas (II Crônicas 17:7-9).
Durante o cativeiro, os judeus começaram a se reunirem em casas para os estudos das Escrituras, surgindo, assim, as sinagogas. Nelas as crianças recebiam instrução religiosa, os mais velhos ouviam os rabinos e estudavam seus escritos. As reuniões eram aos sábados pela manhã e constituíam em ler e meditar na lei do Senhor e nos escritos proféticos.
Depois do cativeiro, as sinagogas continuaram a fazer parte da vida religiosa de Israel em conjunto com a adoração no templo.

V- Como foi exercido na igreja primitiva
O ensino cristão era realizado na igreja primitiva, inicialmente, pelos apóstolos e depois por outros discípulos que tinham este chamado.
O ensino era realizado publicamente (Atos 20:20), de casa em casa (Atos 5:42), nas sinagogas (Atos 19:18), ou por meio de correspondências doutrinárias (I Coríntios 5:9; 12:1).

VI- O que Deus instituiu para ensinar seu povo
Em primeira instância, Jesus fundou a igreja para que esta ensinasse o mundo (Mateus 28:20) e uns aos outros (Colossenses 3:16).
O Senhor instituiu líderes para as várias áreas de atuação da igreja (Efésios 4:11), para que fossem o exemplo de dedicação no seu ministério e ensinassem, não só com palavras, mas também com a vida (Hebreus 13:7).
São estes os portadores dos dons da “palavra da sabedoria” e da “palavra da ciência” (I Coríntios 12:8), chamados por Deus para instruírem as pessoas na verdade do Evangelho.

VII- Como é exercido este ministério hoje
O ensino cristão hoje é realizado, principalmente, nos cultos de E.B.D. por professores preparados e chamados por Deus para este ministério. Também há o ensino ministrado aos crentes e não crentes em cultos de estudo, células familiares, evangelismo pessoal e em praça pública, além das excelentes obras literárias cristãs.
Temos, ainda, as ondas de rádio e TV que muito têm contribuído para a evangelização.
A igreja, hoje, busca espelhar-se na igreja primitiva.

VIII- Como a igreja deve preparar seus mestres
É papel da igreja, hoje, preparar mestres para que haja um ensino consistente e que sejam repudiadas as heresias. Ao notar uma pessoa com um chamado para o ensino, o líder da comunidade deve preparar essa pessoa para que possa desenvolver seu ministério, e se possível, enviá-la a um seminário, mas sempre acompanhar seu desenvolvimento.A exemplo do que sempre aconteceu na história do povo de Deus, os mestres são reconhecidos pela igreja antes mesmo de iniciar seu ministério, e portanto, não há como se confundir, pois o nosso Deus não é Deus de confusão (Romanos 10:11).

Conclusão
O ministério do ensino é imprescindível para a igreja do Senhor em todos os tempos, pois, o ser humano tem sede de saber, porém, esta sede só é saciada quando o mestre tem total consciência do seu ministério e da responsabilidade que o cerca.
Precisamos primar por um ensino de qualidade e espiritual em nossas igrejas para que tenhamos cristãos preparados e equilibrados para Glória de Deus.

Dezembro de 1999.